Curso Programador de Full-Stack do Senai – Preço, Inscrição

Se você possui interesse nesta área, que não para de evoluir desde quando se iniciou na década de 50, e quer ser um programador que entende de back-end e front-end, trabalhando com a parte visual e não visual de dispositivos eletrônicos. Conheça o curso Programador de full-stack do SENAI.

Você sabia que ao acessar este site neste exato momento foi necessário que profissionais da área de programação elaborassem códigos que configuram a parte visual e funcional de sites, programas e aplicativos?

Veja, a seguir, como é o curso, qual é o valor  do investimento, o que você vai aprender, mercado de trabalho e como se inscrever.

Como é o curso de Programador Full-Stack do SENAI?

O programador especializado em full-stack é capaz de trabalhar com o desenvolvimento back-end, que programa a parte interna de dispositivos como sites, do banco de dados do aplicativo ou site que utilizamos.

Curso Programador de Full-Stack SENAI 2023 - Preço, Inscrição
Imagem meramente ilustrativa/Pixabay

No front-end o programador desenvolve a parte visual, a parte gráfica dos dispositivos e programas. Sendo assim, o full-stack é capaz de desenvolver a parte interna e externa de um programa.

O curso de Programador Full-Stack do SENAI se trata de uma qualificação profissional, com carga horária de 670 horas, na modalidade EAD – educação a distância, onde o aluno irá aprender a programar utilizando-se das melhores tecnologias visuais como HTML, CSS, JavaScript e não visuais da linguagem C#.

Sendo uma formação rápida, pois o aluno se formará em menos de 1 ano, e estará pronto para ocupar as melhores vagas do mercado de trabalho.

Conteúdo do curso de programador full-stack do SENAI

O curso oferecido pelo SENAI está dividido em 15 conteúdos, onde o profissional irá aprender sobre os Fundamentos do trabalho com programação e como desenvolver sua função em indústrias com qualidade e segurança, sendo eles:

  • Fundamentos da Indústria 4.0;
  • Fundamentos da Qualidade e Produtividade;
  • Fundamentos da Tecnologia da Informação e Comunicação;
  • Saúde e Segurança no Trabalho;
  • Sustentabilidade nos Processos Industriais;
  • Metodologias Ágeis;
  • Versionamento;
  • Lógica de Programação;
  • Codificação para Front-End;
  • Interação com APIs;
  • Teste de Front-End;
  • Codificação para BackEnd;
  • Banco de Dados;
  • Desenvolvimento de APIs;
  • Testes de Back-End.

Preço do curso de Programador full-stack do SENAI

Considerando o retorno financeiro da profissão de programador full-stack, o investimento no curso do SENAI é consideravelmente baixo, pois o valor investido é de apenas R$ 1.413,10, que pode ser parcelado em 10 vezes sem juros.

Como se inscrever no curso de programador full-stack do SENAI?

Para se garantir sua vaga neste curso é muito fácil. Basta que o aluno tenha acesso ao site Mundo SENAI, clique em Encontre os cursos e procure por full-stack e lá o candidato terá que escolher qual a melhor opção para estudar.

Para se inscrever o candidato deverá atender alguns requisitos:

  • Ter 16 anos ou mais;
  • Ter concluído o ensino fundamental;
  • Possuir conexão a Internet de no mínimo 1 Mbps;
  • E disponibilidade para participar das aulas e atividades online.

Caso não consiga se inscrever através do site Mundo SENAI, o aluno deverá procurar pelo site do SENAI da sua cidade ou estado.

Informamos que o SENAI oferta outros de tipos de programador full-stack, que possui mais de 1.000 horas de carga horária, a modalidade é semipresencial, com formação técnica.

Onde o programador full-stack pode trabalhar? Quanto ele ganha?

O programador full-stack tem sido o preferido das empresas, pois possui habilidades para trabalhar com back-end e front-end, sendo um profissional completo e por isso há muitas oportunidades para quem possui esta formação.

Quem possui formação em full-stack poderá trabalhar em empresas que possuem diferentes nichos, sendo ela de prestação de serviços, comércio ou produção, pois muitas delas possuem seus setores de tecnologia da informação, onde desenvolvem os portais da empresa, ou até programas que facilitam o trabalho dentro delas.

E é óbvio que há oportunidades em empresas da área de tecnologia da informação, que trabalham com o desenvolvimento de jogos, programas e diversas outras coisas necessárias na área de informática, além de poder trabalhar de forma autônoma.

A remuneração para este profissional tem a média de mais de R$ 5 mil, podendo chegar a mais de R$ 10 mil. Sendo uma profissão muito rentável.

Corra para se inscrever!

Esse artigo foi escrito pela Redação do Mundo de Cursos. Viu algum erro nesse artigo ou gostaria de sugerir uma pauta? Entre em contato com a gente.

Comente